Mãe




Nunca encontrei alguém que te igualasse
No tesouro de afeto e de carinho.
Ah!... quanto me atrasei para encontrar-te,
Anjo renovador do meu caminho!...

Um dia, retirei-me de teus braços,
A ver, lá fora, o que eu não conhecia...
Palmas, salões, tertúlias e troféus,
Destaques e grinaldas de alegria...

Flor de emoção em versos juvenis,
No sonho de atingir a vida, a dois,
Parecia que as festas me adornavam
Para as desilusões que viriam depois.

Mas quando os desenganos me buscaram,
Em forma de amargura, abandono e mudança,
Lembrava-me de ti, a servir na humildade,
E erguia-me, de novo, no calor da esperança.

Hoje, torno a buscar-te, Mãe Querida,
Na luz de teu amor, alto e profundo...
Dá-me de tua paz... Em ti encontro
O próprio coração de Deus no mundo!...

(Maria Dolores_ Chico Xavier)