Oração pelos Pequeninos




Jesus:

Abra-me os braços para que meu coração afague todas as avezinhas da infância, espalhadas no caminho da minha vida. Ainda implumes e tombadas do ninho a rés-do-chão, aguardam ternura e socorro imediato.

Deixe que em meu seio o amor construa um teto para albergar todos esses pequeninos sem nome, cujo grande lar é o infortúnio nos caminhos desertos e cujo leito é a estrada malsinada por onde trafegam os incautos.

Tome das minhas mãos e ajude-me a fixar caracteres na argila frágil das suas mentes, modelando com os instrumentos do meu sacrifício a forma delicada do dever, traçando linhas de conduta cristã que lhes exorne o espírito nos dias do amanhã. Bem sei que os homens do futuro são as criancinhas de agora e cuidar delas é construir o mundo novo.

Imponha à minha alma, agora, o respeito por esses cidadãos do porvir.

Ajude-me a dilatar a débil capacidade do meu querer, fazendo-o rescender como um perfume de jasmim, a fim de que sendo:

-Mãe, eu lhe ofereça o bisturi para que o meu peito seja rasgado, se necessário, e dele jorre a seiva do encantamento maternal que os fortifique e engrandeça na via do crescimento.

-Esposa, eu O conduza comigo, para que, se meu ventre negar-se ao ministério sagrado da procriação, eu possa encontrar, nos filhos de outras mães, a continuação da vida que a carne não me pode propiciar.

-Irmã, eu seja possuidora da boa palavra na hora oportuna e do silêncio compreensivo no instante azado.

-Amiga, eu me conduza de tal forma que na amizade sintetize toda a pureza de mãe, a sabedoria de mestra, a nobreza de esposa, a bondade de irmã e a obrigação de amiga fiel, porque a infância, Jesus, é o grande solo donde será arrancada a Humanidade nova para a exaltação gloriosa do Evangelho.

[Amélia Rodrigues - Divaldo P. Franco]