O Ideal



Um homem cansado de procurar a felicidade resolve procurar Deus e Êle lhe respondeu:
- Que queres filho? Procuras-me com tanta insistência.

- Quero riquezas, meu Pai. Desejo possuir largos cabedais, muitas fazendas, ouro e prata. Aspiro a ser um Creso.

- Dar-te-ei o que pretendes, filho; porém, previno-te de que de novo me buscarás, porque não te sentirás satisfeito.

O tempo passou e um belo dia o homem chama Deus: - Aqui estou, filho, que desejas de mim, uma vez que me buscas com tanto interesse?

- Quero saúde, força, vigor físico, resistência. Invejo o Hércule, o Urso, o Titãs.

- Terás o que solicitas de mim, filho. Não obstante advirto-te: de novo me procurarás, porque não te sentirás satisfeito

Alguns dias se passaram e...
- Eis-me aqui, filho. Porque estás assim aflito e me chamas com tamanha impaciência?

- Pai, tenho sede de domínio, de poder, de autoridade. Meu desejo é governar, é conquistar reinos, dominar nações, imperando discricionáriamente sobre povos e raças. Tenho por modelos - Napoleão e Júlio César.

- Será deferida a tua petição, filho. Contudo, permite que te observe: de novo me demandarás, porque não te sentirás satisfeito.

- Porque bates assim sôfregamente nos tabernáculos eternos, filho? Sossega, acalma-te e fala.

- Pai, sou ávido de glórias; a fama me fascina, a notoriedade me arrebata. Nenhuma alegria terei, enguanto não lograr este meu intento. Quero perceber sobre a fronte a coroa de louros que ostentaram os sábios, os grandes poetas, os escritores célebres.

- Serás atendido, alcançando o que tanto ambicionas. Todavia, aviso-te de que de novo voltarás à minha procura, por isso não te sentirás satisfeito.

Finalmente um dia... ele chama Deus novamente e diz:
- Pai, quero amar e ser amado. Sinto incontido anseio de expandir o meu coração. Vejo-me constrangido em uma atmosfera asfixiante. Meu sonho é amar amplamente, incomensurávelmente. Meu maior desejo é sentir palpitar em mim a vida de todos os seres. Quero amar com toda a capacidade do meu coração, assim como os pulmões sadios respiram na floresta, nos montes, nos campos e nos bosques! Meu ideal, Pai, é o Filho de Maria, o Profeta de Nazaré, aquele que morreu na cruz por amor da Humanidade.

- Sê bendito, meu filho. Terás aquilo a que tão sábiamente aspiras. Não me procurarás mais, porque sentirás em ti a plenitude da vida: de ora em diante serás uno comigo...